ana_cristina_haja_manha.jpg
celeste_martins_cais_da_gilao.jpg
ruben-silva-acordar-na-gilao.jpg
fernando_jose_coliseu_da_musica.jpg
jorge_sampaio_do_lado_de_ca.jpg

Cenas na Rua inicia "Verão em Tavira"

Cenas na Rua inicia «Verão em Tavira»No âmbito programa cultural Verão em Tavira, decorre, de 01 a 14 de julho, pelas 22h00, a 15ª. edição do Festival Internacional de Teatro e Artes na Rua – “Cenas na Rua”, o qual conta com muitas novidades e alguns dos melhores grupos e projetos portugueses e internacionais.

Espetáculos intimistas e visuais com interação com o público a não perder nas praças e largos da cidade.

Tome nota da programação deste ano:

“Big Dancers” – Cia El Carromato (Espanha)       
01 de julho
Itinerância Jardim da Alagoa e Praça da República
Todos os públicos | percussão/ itinerante

Performance itinerante em que várias marionetas gigantes (4m altura) realizam diferentes coreografias, invadindo as ruas com músicos guiados por um maestro de cerimónia que convida os espetadores a dançar. Um espetáculo em que o público é parte da diversão.

Espetáculo de abertura da Capital Europeia da Cultura 2018 Malta.

“DistanS” – Vol e Temps (Espanha)          
02 de julho
Praça da República  
Todos os públicos | circos/teatro
Prémio LORCA para o “Melhor espetáculo de Circo” e Prémio FETEN em Gijón (Astúrias, Espanha).

Um pacto, um código secreto, uma cápsula do tempo, uma promessa… Daqui a 20 anos, no mesmo sítio, à mesma hora. A velha casa da árvore, onde os amigos passavam as tardes livres entre jogos, risos, fantasias e cumplicidade.

O tempo passa e a distância é inevitável, mas não tem que pressupor o esquecimento.

“DistanS” fala de amizade: as recordações que permanecem vivas nos corações, apesar da passagem dos anos. Fala da fragilidade do ser humano, da rutura, da solidão e do amor, capaz de regenerar e reconstruir as relações. Uma viagem, através das emoções no seu espaço visual e sonoro que envolve as cenas de circo acrobático e teatro gestual.

“Babo Royal” – Ganso & Cia (Espanha)    
03 de  julho
Jardim do Coreto     
Todos os públicos | clowns  

Um rei lunático e um trovador singular. Um pequeno território onde reina a excentricidade. Soam as trompetas, ondulam as bandeiras, que princípio de festança!

Todos são convidados a participar, simbólica ou fisicamente, no desfile, no combate ou no torneio real. Tudo o que o rei desejar terá que acontecer.

“Babo Royal” é um jogo onde as hierarquias se invertem, onde o previsível surpreende, onde estão proibidas a sisudez e a normalidade.

“Bô é o Asno que me leva” – Cia da Esquina (Portugal)
04 de julho
Largo Abu Otomane / Castelo
Todos os públicos | commedia dell’arte

Um desfile da obra de Gil Vicente. Um espetáculo performativo com personagens alegóricas que constituem uma crítica à época e à sociedade em que se inseriam.

Uma crítica aos vícios, hábitos e costumes pontuada pela venalidade da magistratura, o antissionismo popular, o gosto exagerado pelas aparências, a pelintrice, os preconceitos populares e os conflitos entre o Poder Real e o Poder eclesiástico.

“A Farsa do Mestre Patalão” – Ao Luar Teatro (Portugal)       
05 de julho
Alto de São Brás
Todos os públicos | commedia dell’arte

Patalão é mestre em advocacia por decisão e vocação. É também um homem de apurados e improvisados recursos, quer seja em tribunal, quer seja nas muitas tropelias que a vida lhe proporciona. Cavalheiro de promessa fácil assume com Guilhermina, sua esposa, o compromisso de trazer algo da feira. Sem um tostão no bolso encontra Gualdino, comerciante sério e sovina…

Comédia escrita no século XV por um anónimo francês que a companhia Ao Luar Teatro leva a cena inspirada no estilo artístico commedia dell´arte. Com muita música e diversão, este pretende ser um espetáculo para toda a família.

“Chefs” – Yllana (Espanha)
06 de julho
Praça da República  
Todos os públicos |comédia / gastronomia

Um olhar divertido sobre o fascinante mundo da gastronomia. A história centra-se num Chef de grande prestígio que perdeu a inspiração e que tem que confiar numa disparatada equipa de cozinheiros para criar uma receita espetacular e inovadora e assim manter as estrelas do seu restaurante. Uma viagem pelas distintas facetas do mundo da cozinha: a relação com os alimentos, os animais, as diferentes cozinhas e sabores do mundo. Os egos, a competição entre estes “cozinheiros estrela“ e tudo o que, com muito gosto, vai caindo na caçarola do humor de Yllana.

“O Mar de Sophia” a partir de Sophia de Mello Breyner – Poetry Ensemble (Portugal)
07 de julho
Praça da República  
Todos os públicos| poesia / música

“O Mar de Sofia”, que conta com a chancela da Comissão das Comemorações do Centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen, é um espetáculo em formato multimédia, o qual usa a imagem e a música como complementos da palavra dita.

O espetáculo conta, para além da formação base do Poetry Ensemble, com a participação de um violino, de um violoncelo e do DJ X-Acto. As vozes convidadas para este espetáculo são as das atrizes Margarida Vila-Nova e Carla Bolito, bem como da poetisa Paula Cortes e da cantora Vivianne.

“Volat” – Pepa Cases [Espanha]
08 de julho
Alto de São Brás
Todos os públicos | dança e teatro

Vive-se numa sociedade, onde a aparência é o mais importante, onde as pessoas são o que têm ou o que aparentam ter ou ser. Mostram-se como querem, mas quase nunca como são. Isto faz pensar na ideia de voltar à essência, do singelo, do frágil, do unicamente necessário. É necessário tanto para se ser feliz?

“De traca” – Pepa Cases [Espanha]
09 de julho, 21h30
Bela Fria
Todos os públicos | dança / teatro

Uma bailarina, a participação do público e o cheiro da pólvora são os ingredientes desta peça que reflete, de uma maneira terna e poética, sobre os refugiados e qual a posição das pessoas perante esta problemática.

“De traca” é uma expressão espanhola utilizada quando se refere a algo chamativo ou escandaloso, ou quando algo parece incrível, como as notícias divulgadas nos noticiários todos os dias.

Um trabalho que evoluiu surpreendentemente para misturar a dança, o teatro e a poética urbana e não deixar ninguém indiferente com uma história simples, humana e, lastimavelmente, atual e universal, como a dos refugiados.

“Fanzine” – Teatro Regional da Serra de Montemuro (Portugal)        
09 de julho
Jardim do Coreto
Todos os públicos |teatro

O mestre do crime, Lex Luthor, escapa do mundo da banda desenhada para o século XXI, com a única intenção de fazer estragos. Auxiliado pela sua assistente pessoal “Paciência” e pela “Mulher Eletricidade”, Luthor ambiciona vergar a civilização, roubando a internet.

Todos os seus antigos adversários, os super-heróis, estão agora aposentados. Mas, quando um velho e familiar sinal aparece na noite escura, os antigos heróis deixam as suas atuais vidas para se reunirem novamente.

Conseguirão os antigos super-heróis esquecer velhas inimizades e rivalidades e reaprender a usar os seus poderes?

“Boate – Migratory Odyssey” – Cirque Rouages (França)         
10 de julho
Itinerante – Praça da República
Todos os públicos | dança/novo circo/poesia visual

Dois homens em movimento, equilíbrio ou queda. Nas suas costas, uma caixa de madeira, pesada como o passado, vazia como o futuro.

Sem palavras, seguindo o ritmo de caixa, assumem a liderança e caminham casualmente com a leveza da juventude, cheios de força e esperança.

Os seus corpos falam, desenham a viagem, o perigo ameaça, mas os riscos assumidos são alegres e vitoriosos. Mudam as suas vidas e desafiam as leis da física.

“Correr o Fado” – Quorum Ballet (Portugal)     
11 de julho
Praça da República
Todos os públicos | dança / música

Fado, a mais representativa forma de expressão da cultura tradicional portuguesa. Numa multiplicidade de movimentos, sons, sensações e sentimentos, os bailarinos transmitem com a sua arte, extrema beleza, inexcedível sensibilidade e aparente facilidade, tudo o que os sentidos percebem e o coração apreende. Ao fundir o Fado com a Dança Contemporânea, “Correr o Fado” quebra com a tradicional forma de ver, ouvir e sentir o Fado, desmistificando a sua conotação saudosista e melancólica.

“Sinergia 3.0” – Cia. Nueveuno (Espanha)
12 de  julho
Praça da República
Todos os públicos | malabares

Este ano comemoram-se os 500 anos da morte de Leonardo Da Vinci. Sinergia 3.0 é baseado numa reinterpretação deste mestre renascentista, onde se gera uma reflexão e interpretação livre do público. A dramaturgia constrói-se sobre dois eixos: um visual e outro emocional, através dos quais as personagens evoluem no processo de integração e interação com o grupo.

A cenografia é manipulada, criando diferentes estruturas com coreografias precisas de movimento. Tudo isto com uma banda sonora composta, expressamente, para o espetáculo em sintonia com a transformação de objetos, personagens, situações e estados.

“Arturo y Clementina” – Titiritrán Teatro (Espanha)   
13 de  julho
Biblioteca Municipal Álvaro de Campos
Todos os públicos | música / teatro de objetos / cinema

“Arturo y Clementina” são duas tartarugas apaixonadas que decidem partilhar a sua vida. Clementina é alegre, vivaz e sonhadora e Arturo carrega sobre a sua carapaça a responsabilidade de mantê-la e oferecer-lhe tudo o que considera valioso. Mas os critérios de ambos são muito diferentes. Enquanto Clementina quer sentir a arte e a vida, Arturo apenas valoriza a cultura já consagrada e ri-se da “ingenuidade” da sua companheira ao querer desenvolver distintas atividades artísticas.

Quando Clementina foge da proteção asfixiante, Arturo não entende como ela rejeita os seus esforços por brindar-lhe com uma vida cheia de objetos valiosos.

O Cardume vai à praia – Armação do Artista (Portugal)
14 de  julho, 10h00
Ilha de Tavira
Todos os públicos | animação itinerante

Os peixes são personagens interpretadas por um grupo de atores com inspirações no imaginário do artista plástico René Magritte.
Este cardume reflete uma linguagem de impacto poético-visual influenciado por um "realismo mágico", baseado no amor surrealista aos paradoxos visuais, onde o grupo de personagens é um quadro vivo de cariz surreal.
A animação consiste num percurso, pela Ilha de Tavira, feito pelas personagens, numa interação com o veraneante.

Stereossauro - Bairro da Ponte (Portugal) convida NBC e Dj Ride      
14 de  julho
Praça da República
Todos os públicos |fado / música eletrónica

Aqui celebra-se o acervo exclusivo da voz de Amália Rodrigues e da guitarra de Carlos Paredes, redescoberto por Stereossauro e partilhado com artistas convidados. Mas não se espere encontrar um bairro de fado. Na tasquinha da esquina as raízes da música portuguesa cantam ao som do hip hop e nunca se faz silêncio. É numa desgarrada ensaiada que a guitarra portuguesa se junta ao rock com uma batida eletrónica.

Um bairro cheio de artistas, onde 19 temas acabam com a distância de estilo e idade.

Convidados do álbum: Carlos do Carmo, Gisela João, Dj Ride, Slow J, Plutonio, Papillon, Camané, Tigerman, Rui Reininho, Capicua, Ace, NBC, Holly, Nerve, Paulo de Carvalho, Dino D'Santiago, Razat, Ana Moura, Ricardo Gordo e Sr. Preto.

fonte/cm-tavira

Faixa publicitária

Emissão em Directo (player 1)

Emissão em Directo (player 2)

Podcast by youtube

Facebook Rádio Gilão

Consultório do consumidor

Faixa publicitária

Podcast

Publicidade

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Contacte-nos

Largo de Santana nº 1 - Tavira

 

8800-701 TAVIRA 

 

Tel: +351 281 320 240

 

Fax: +351 281 325 523

 

Email: radiogilao@net.vodafone.pt

Siga-nos

facebook twitter instagram
youtube linkedin

googleplus

 

Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apaga-los, consulte nossa Politica de cookies.

Aceitar cookies deste site.