ana_cristina_haja_manha.jpg
celeste_martins_cais_da_gilao.jpg
ruben-silva-acordar-na-gilao.jpg
fernando_jose_coliseu_da_musica.jpg
jorge_sampaio_do_lado_de_ca.jpg

Portimão: Greve de funcionários do IPTM sem fim à vista e comerciantes com quebras de milhares

NavioOs cinco navios escalados para atracarem no porto de Portimão esta semana não vão poder desembarcar os cerca de quatro mil turistas na cidade devido à greve dos trabalhadores do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM). Sindicato garante que só levanta a greve quando houver diálogo da parte do Governo.

 "A greve vai continuar por tempo indeterminado", assume ao CM Fernando Oliveira, do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações e Juntas Portuárias. Segundo o sindicalista, estão a reivindicar o pagamento da remuneração acessória, que "o Governo não pagou porque meteu no mesmo saco dos subsídios de férias e do 13º mês, quando não é igual".

"Até que o Governo se sente à mesa para negociar, não paramos a greve, até porque tem havido uma grande falta de diálogo da parte deles", queixa-se.

A greve está a ser feita às horas extraordinárias e à polivalência, mas o dirigente sindical diz que no final de Setembro "poderá haver paralisações gerais".

Para esta semana estavam planeados chegar cinco navios: o ‘Aríon’, o ‘Star Flyer’, o ‘Silver Explorer’, o ‘Adónia’ e o ‘Grand Mistral’, o que totalizam cerca de quatro mil passageiros que não vão desembarcar em Portimão, para desespero dos comerciantes do porto (ver peça em baixo) e não só, até porque toda a cidade vai ser afectada. Até ao final do mês estão escalados mais dois navios, o ‘Rotterdam’ (dia 25) e o ‘Thomson Spirit’ (dia 30), e em Outubro estão previstos sete navios.

Os comerciantes do porto de Portimão estão desesperados com a situação e realçam que estão a perder milhares de euros diariamente.

"A minha loja só abre quando há escalas, mas eu pago a renda o ano inteiro. Por cada dia que não desembarcam turistas, perco uma média de 600 euros", diz ao CM Ana Marques, proprietária de uma loja de artesanato no porto. Já Teresa Pires, gerente de uma loja duty- free, assume que esta semana terá "um prejuízo de cerca de 50 mil euros", caso a greve dos trabalhadores do IPTM se mantenha.

fonte/cmjornal

Faixa publicitária

Emissão em Directo (player 1)

Emissão em Directo (player 2)

Podcast by facebook

Facebook Rádio Gilão

Consultório do consumidor

Faixa publicitária

Podcast

Publicidade

Faixa publicitária

Contacte-nos

Largo de Santa Ana nº 1 - Tavira

 

8800-701 TAVIRA

 

Tel: +351 281 320 240

 

Fax: +351 281 325 523

 

Email: radiogilao@net.vodafone.pt

Siga-nos

facebook twitter instagram
youtube linkedin

Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apaga-los, consulte nossa Politica de cookies.

Aceitar cookies deste site.